Cultura nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos

« Voltar

Xote, forró e xaxado na passagem da tocha em Sobral

8.6.2016 - 13:57  
Uma das orquestras da escola de música Maestro José Wilson Brasil é formada por violonistas (Foto: Divulgação)
 
 
A cerca de 200 quilômetros de Fortaleza, localiza-se Sobral (CE), município com tradição musical bicentenária. É lá que o maestro José Brasil, diretor da escola de música Maestro José Wilson Brasil, dedica boa parte da vida. Foi ele quem ajudou, há 13 anos, a criar a instituição, que oferece aulas gratuitas para aproximadamente 600 alunos. Além das oficinas, a escola conta com dois corais e bandas musicais.
 
Nos últimos dias, bandas da escola intensificaram os ensaios. O motivo é a passagem, nesta quarta-feira (8), da Tocha Olímpica pela cidade. É a banda maestro Zé Pedro, da escola, que a recepcionará na chegada. Outros grupos, como os Cuequinhas, também fazem parte da programação cultural que será apresentada. No repertório, ritmos típicos da região: forró, xaxado, xote e baião. 
 
O maestro também será um dos condutores da tocha. "Estou indo pela cultura e pela música. Acredito que a música muda a postura e a visão de mundo das pessoas", disse. "Este momento é importante porque coloca a cidade no circuito mundial e chama a atenção para a cultura e para o trabalho que realizamos", completa. 
 
Com trabalho de formação, a escola, mantida pela prefeitura, também representa, para muitos jovens, a oportunidade de driblar obstáculos financeiros e sociais. É o caso de Jéssica Palhano, 20 anos, que veio de São Paulo para Sobral, aos 13. Na capital paulista, iniciou estudos em clarinete e, na escola de música em Sobral, se profissionalizou e hoje faz parte da banda municipal, que também recepcionará a chegada da tocha. 
 
"A música representa grande parte da minha formação como pessoa. Desde quando comecei, a gente aprende a trabalhar em grupo, a ser mais paciente e fica cercado de pessoas que querem ajudar. E você tem que ter tempo para se dedicar àquilo, não há tempo para pensar em outras coisas, como criminalidade", sintetiza. 
 
Outro grupo da escola que irá se apresentar e tocar ritmos típicos da região é Os Cuequinhas, com crianças de 6 a 12 anos. "São crianças apaixonadas por música que tocam como gente grande", brinca o orientar da banda, o professor Francisco de Assis. "A expectativa deles é grande, mas já têm costume de tocar em grandes eventos", completa.
 
Revezamento da tocha 
 
Antes de chegar a Sobral, a chama olímpica passa, nesta quarta-feira (8) por Caucaia, Itapajé, Irauçuba e Forquilha. No trajeto do revezamento, há manifestações culturais típicas, artesanato, teatro e musicais. Cento e doze condutores percorrem um total de 276 quilômetros, somando os deslocamentos do comboio. Em 5 de agosto, a chama desembarca no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, para acender a pira olímpica e dar início aos Jogos Olímpicos.
 
O MinC e a Tocha 
 
O percurso da tocha abre espaço para a exibição ao mundo das mais diversas expressões culturais do País. Atento a essa oportunidade, o Ministério da Cultura (MinC) realizou convênio com prefeituras de capitais do Brasil para apoiar atividades de promoção cultural durante a passagem da Tocha Olímpica.
 
O projeto Celebrações nas Cidades do Revezamento da Tocha Olímpica destinará de R$ 192 mil a R$ 250 mil para 18 capitais das cinco regiões brasileiras organizarem eventos que devem, preferencialmente, ser realizados em espaços públicos de grande circulação. As atividades devem divulgar a cultura, a arte e a gastronomia locais.
 
Cecilia Coelho
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura