Cultura nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos

« Voltar

Tocha olímpica chega a Niterói nesta terça

1.8.2016 - 14:20  
Quem estiver em Niteroi poderá aproveitar para conhecer espaços tombados pelo Iphan, como o Museu de Arte Contemporânea (MAC), projetado por Oscar Niemeyer (Foto: Oscar Liberal/Iphan)
 
 
A cinco dias da abertura oficial das Olimpíadas, marcada para a próxima sexta-feira (5), a Tocha Olímpica se aproxima do seu destino final, no Rio de Janeiro. Nesta terça (2), passa por seis cidades do estado. O trajeto por Saquarema (RJ), Tanguá (RJ), Rio Bonito (RJ), Itaboraí (RJ), São Gonçalo (RJ) e Niterói (RJ) é oportunidade não apenas de celebrar o esporte, mas de valorizar e conhecer a cultural local. 
 
Em Niterói, serão realizadas atrações culturais em 11 polos montados ao longo do trajeto de 18 km. Os artistas farão apresentações 40 minutos antes de a Tocha Olímpica chegar. No roteiro, entre 15h30 e 19h, haverá apresentações de bandas de escolas municipais, além de grupos de samba, rock e afoxé. Por lá, também haverá grupos de danças contemporâneas e de street dance.
 
Uma das atrações é a Banda Devir, que irá encerrar a cerimônia de passagem da Tocha Olímpica pela cidade. "Estamos muito felizes de poder tocar em apresentação aberta ao público em nossa cidade. Essa programação envolveu todos os artistas da cidade, vai ser bem animada", avalia Davi Damasceno, guitarrista da banda. "O que tocamos é uma música universal, é uma mistura de instrumentos e de ritmos como o reggae, MPB e soul", completa.
 
Quem visita a cidade também poderá aproveitar para conhecer espaços tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), como o Museu de Arte Contemporânea (MAC), projetado por Oscar Niemeyer. O espaço, que se tornou um dos principais símbolos da cidade, completa 20 anos em 2016. 
 
Esta não é a única obra do arquiteto por lá. Além do MAC, o caminho Niemeyer abriga, em 11 km, diversas obras projetadas por ele, como o Teatro Popular, a Praça JK, o complexo arquitetônico da praça popular, a Estação Hidroviária de Charitas e o Centro Petrobras de Cinema.  É neste complexo que a tocha termina seu caminho pela cidade. 
 
As outras cidades por onde a chama passa na terça também abrem espaço para artistas locais. Em São Gonçalo (RJ), por exemplo, haverá até apresentação de dança do ventre. "É uma atividade que desperta bem-estar nas pessoas, tem um público grande aqui em São Gonçalo", afirma a professora de dança Vanessa Ramos. "A expectativa de dançar e fazer parte desse momento histórico é grande. Acredito que é uma oportunidade para divulgar a dança do ventre", completa. 
 
Revezamento 
 
O revezamento da tocha pelas 330 cidades do Brasil teve início em 3 de maio, em Brasília (DF). Ao todo, a chama olímpica pernoitará em 83 municípios, totalizando aproximadamente 12 mil milhas áreas e 20 mil quilômetros terrestres percorridos. Cerca de 12 mil pessoas se revezarão na condução da tocha, cada uma por 200 metros, em média. 
 
Na quarta-feira (3), a chama olímpica passa por Duque de Caxias, São João do Meriti, Nilópolis e Nova Iguaçu. Na quinta (4), a chama chega à cidade do Rio de Janeiro e, na sexta (5), segue para o estádio do Maracanã para acender a pira olímpica e dar início aos Jogos.
 
O MinC e a Tocha 
 
O percurso da tocha abre espaço para a exibição das mais diversas expressões culturais do País ao mundo. Atento a essa oportunidade, o Ministério da Cultura (MinC) realizou convênio com prefeituras capitais do Brasil para apoiar atividades de promoção cultural durante a passagem da Tocha Olímpica.
 
O projeto Celebrações nas Cidades do Revezamento da Tocha Olímpica destinou de R$ 192 mil a R$ 250 mil para capitais, das cinco regiões brasileiras, organizarem eventos que deviam, preferencialmente, ser realizados em espaços públicos de grande circulação. As atividades ainda tinham de divulgar a cultura, a arte e a gastronomia locais.
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura