Cultura nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos

« Voltar

Em Rio Branco, a tocha olímpica chega no ritmo do Jabuti-Bumbá

20.06.2016 - 18:10   
A marujada é uma dança folclórica que reúne elementos sagrados e profanos (Foto: Divulgação)
 
 
Mameluco, marujada, jabuti-bumbá. Essas são algumas das apresentações folclóricas que celebrarão a passagem da tocha olímpica por Rio Branco, capital do Acre, nesta terça-feira (21). A cidade é uma das conveniadas com o Ministério da Cultura para promover ampla programação cultural.
 
Ao som de tambores, triângulos, sanfonas, violão e pandeiros, o grupo que leva o nome Jabuti-Bumbá reúne cerca de 30 pessoas. O coordenador do grupo, Cícero de Farias Franca, afirma que o grupo trabalha com o resgate de tradições: "Há um resgate de culturas antigas, como caboclinhas da mata, curupira e mapinguari; e segue com influência de outras manifestações, como o Bumba-meu-boi e os Bois-bumbás de Parintins".
 
Cícero explica que o jabuti representa a resistência do povo da floresta e transmite, às Olimpíadas, uma mensagem de preservação de águas limpas, de paz, de amor e de vidas melhores. "A expectativa em relação à passagem da tocha é de fazer uma boa apresentação e de aproveitar o momento para passar o recado da preservação ambiental. O jabuti estará dando o recado e nós estaremos trabalhando como sempre, com muita alegria e festa", diz.
 
Outra apresentação folclórica que fará parte da festa olímpica acreana é a marujada. Alexandre Ancelmo, um dos colaboradores do grupo Marujada Brigue Esperança, afirma que a manifestação é uma dança folclórica que reúne elementos sagrados e profanos. O enredo conta a história de um grupo de marujos em uma embarcação a vapor, em alto-mar, que faz um levante contra o comandante. Ao ser jogado no mar, o comandante joga uma praga e uma tempestade se manifesta. Desastres são, então, evitados por meio de reza.
 
"Tentamos manter a tradição. Esperamos que, com a passagem da chama olímpica, possamos transpor essa cultura para um reconhecimento para além do Acre", diz Ancelmo.
 
O dia também será marcado por apresentações de teatro, maculelê e quadrilhas juninas. De Rio Branco a tocha segue, na quarta-feira (21) para Porto Velho (RO). Por lá, estão previstos shows de banda, zumba, artes marciais, quadrilhas e boi-bumbá.

O MinC e a Tocha 

O percurso da tocha abre espaço para a exibição das mais diversas expressões culturais do País ao mundo. Atento a essa oportunidade, o Ministério da Cultura (MinC) realizou convênio com prefeituras de capitais do Brasil para apoiar atividades de promoção cultural durante a passagem da Tocha Olímpica.
 
O projeto Celebrações nas Cidades do Revezamento da Tocha Olímpica destinará de R$ 192 mil a R$ 250 mil para 17 capitais, das cinco regiões brasileiras, organizarem eventos que devem, preferencialmente, ser realizados em espaços públicos de grande circulação. As atividades ainda devem divulgar a cultura, a arte e a gastronomia locais.
 
 
 
Cecilia Coelho
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura