Cultura nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos

« Voltar

Danças folclóricas e trajes típicos: tocha segue para Santa Catarina

11.07.2016 - 17:55

  
O Grupo Folclórico Germânia é constituído por jovens que mantêm vivas as tradições da cultura alemã de seus antepassados (Foto: Divulgação)
 
 
Muitas tradições de Blumenau (SC) fazem jus à história e à fusão cultural do município. A região, inicialmente habitada por índios Kaingangs, Xoklengs e Botocudos, ganhou, a partir de meados do século 19, imigrantes europeus.
 
Em 1850, o filósofo alemão Dr. Hermann Bruno Otto Blumenau obteve do Governo Provincial uma área de terras de duas léguas – equivalente a 12km – para estabelecer uma colônia agrícola, com imigrantes europeus. Desde então, o local recebeu pessoas advindas de diversos países, entre eles, Alemanha, Itália e Polônia.
 
Nesta terça-feira (11), diversos grupos que remetem a origens culturais seculares mostrarão esta faceta de Blumenau durante a passagem da tocha olímpica.  Um deles é o Grupo Folclórico Germânia, fundado há 28 anos.
 
 "Nós ensaiamos diversas danças folclóricas, com trajes típicos e adaptações", explica o coordenador Claudionor Silveira. "Os grupos folclóricos têm importância grande na manutenção da nossa cultura, são muito presentes na cidade", completa.
 
Uma das danças mais desenvolvidas pelos grupos folclóricos da região é a Sternpolka, também conhecida como a Polca das Estrelas. Vista do alto, dizem, a coreografia forma uma estrela. A Sternpolka surgiu há cerca de 300 anos, na região da Boêmia, fronteira entre a Alemanha e a antiga Tchecoslováquia, atualmente República Tcheca e Eslováquia.
 
Para Ernandes Batista, presidente da Associação dos Grupos Folclóricos Germânicos do Médio Vale do Itajaí (AFG), participar da programação da passagem da chama olímpica é uma oportunidade e um reconhecimento. "As Olimpíadas envolvem culturas do mundo todo e o brasileiro também tem uma cultura global. Aqui, temos tradições da Alemanha, Itália, Polônia, etc, associados a costumes nordestinos", exemplifica Ernandes.

Revezamento

Além de Blumenau, a tocha passa, nesta quinta, por outras cidades catarinenses: Biguaçu (SC), Balneário Camboriú (SC), Itajaí (SC), Ilhota (SC) e Gaspar (SC). O percurso abre espaço para a exibição das mais diversas expressões culturais do País ao mundo.
 
Atento a essa oportunidade, o Ministério da Cultura (MinC) realizou convênio com governos de capitais do Brasil para apoiar atividades de promoção cultural durante a passagem da Tocha Olímpica. 
 
O projeto Celebrações nas Cidades do Revezamento da Tocha Olímpica destinará aproximadamente R$ 250 mil para capitais brasileiras organizarem eventos que devem, preferencialmente, ser realizados em espaços públicos de grande circulação. Os eventos ainda devem divulgar a cultura, a arte e a gastronomia locais.
 

A chama olímpica passa, nesta semana, pelas seguintes cidades: 

 
Dia 12: Biguaçu (SC), Balneário Camboriú (SC), Itajaí (SC), Ilhota (SC), Gaspar (SC), Blumenau (SC) 
Dia 13: Massaranduba(SC), Jaraguá do Sul (SC), São Francisco do Sul (SC), Joinville (SC)
Dia 14: São José dos Pinhais (PR), Curitiba (PR)
Dia 15: Fazenda Rio Grande (PR), Araucária (PR), Campo Largo (PR), Ponta Grossa (PR), 
Dia 16: Castro (PR), Itararé (SP), Itapeva (SP), Capão Bonito (SP)
Dia 17: Sorocaba (SP), Tatuí (SP), Botucatu (SP), Lençóis Paulista (SP), Bauru (SP)
 
 
Cecília Coelho
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura