Cultura nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos

« Voltar

Danças do folclore paraguaio e de povos indígenas festejam a tocha

24.06.2016 - 17:50   
Colônia paraguaia na capital é uma das mais numerosas em Campo Grande e exerce grande influência na cultura local (Foto: Divulgação)
 
 
Assim que chegar ao aeroporto de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, neste sábado (24), a tocha olímpica será recepcionada com uma Dança Paraguaia Infantil.  A colônia paraguaia na capital é uma das mais numerosas e exerce grande influência na cultura local. O governo estadual estabeleceu, inclusive, todo 14 de maio – mesma data da independência daquele País – o dia do povo paraguaio em Mato Grosso do Sul.
 
A coordenadora do grupo Colônia Paraguaia Danças Folclóricas, Luciene Bicudo, destaca a importância da participação no evento: "Podemos ressaltar a presença desse povo guerreiro, que veio para cá e conseguiu consolidar sua cultura e sua força no estado. É uma emoção muito grande".
 
Na dança executada pelo grupo, as coreografias são embaladas pelo som da harpa. Durante apresentação, as dançarinas se vestem a caráter, com vestido de renda típica paraguaia – nhanduti. O vestido com esse bordado é considerado único e chegar a valer cerca de R$ 5 mil.
O grupo faz parte do Ponto de Cultura Colônia Paraguaia, que promove atividades gratuitas relacionadas ao país vizinho. Há cursos de língua espanhola e de língua guarani, além de oficinas de violão e de dança folclórica. "A cultura paraguaia é muito forte no estado e ajudou a formar nossa identidade aqui", comenta Luciene. "O mato-grossense não fica sem beber tererê", brinca.
 
Na programação em Campo Grande, estão incluídas danças de mulheres indígenas (Foto: Divulgação)
 
Ao longo do dia, outra cultura que ganhará destaque é a indígena. No trajeto, haverá apresentações de dança como a Siputrena, realizada apenas por mulheres indígenas do povo Terena. "A cultura indígena é muito importante para nós. Nós representaremos as nove etnias presentes no Mato Grosso do Sul e pediremos proteção para a tocha até sua chegada ao Rio de Janeiro", afirma o coordenador de grupos de dança Adierson Venâncio Mota. 

Trajeto

No percurso de domingo, a chama olímpica passará por diversas cidades do estado: Sidrolândia, Rio Brilhante, Maracaju, Itaporã e Dourados. Na segunda, ela segue para Nova Andradina (MS), Bataguassu (MS) e Presidente Prudente (SP).
 
Ao longo do revezamento, o Ministério da Cultura realizou convênio com prefeituras de capitais do Brasil para apoiar atividades de promoção cultural durante a passagem da tocha olímpica.
O projeto Celebrações nas Cidades do Revezamento da Tocha Olímpica destinará de R$ 192 mil a R$ 250 mil para 18 capitais, das cinco regiões brasileiras, organizarem eventos que devem, preferencialmente, ser realizados em espaços públicos de grande circulação. As atividades ainda devem divulgar a cultura, a arte e a gastronomia locais.
 
 
 
Cecilia Coelho
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura