Cultura nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos

« Voltar

A cultura do Brasil nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos

29.07.2016 - 11:30   

Acesso rápido

Mart'nália está entre as atrações da Fundição Progresso, no Rio de Janeiro (Foto: Eny Miranda)
 
Os olhos do mundo já estão voltados para o Brasil. Para além da emoção das competições esportivas, os Jogos Olímpicos e Paralímpicos são uma oportunidade única para artistas brasileiros exibirem a diversidade cultural do País. Dos bonecos de mamulengo à bossa nova, a variedade de sotaques, ritmos e manifestações está representada na ampla e diversa programação do Ministério da Cultura (MinC).
 
Ao todo, o MinC promoverá 561 eventos, como shows e exposições, em diferentes locais, envolvendo mais de 2,1 mil artistas na programação. As atividades se integram à programação idealizada pela Rio 2016, pela Prefeitura do Rio e pelo Governo do Estado. Como a maior parte dos eventos está programada para o período da Olimpíada, o MinC vai participar de forma mais robusta com o período Paralímpico, cuja programação era mais rarefeita.
 
Os editais da Funarte vão contribuir com a programação da Fundição Progresso, que recebe, durante a Paralimpíada, shows do festival Interações, e mostras de arte. As cidades de Duque de Caxias e Niterói foram incluídas na celebração do espírito olímpico e recebem, em agosto e setembro, festivais de música, de dança contemporânea, além de mostras de expressões culturais populares e tradicionais.
 
Entre os artistas que se apresentarão na Fundição Progresso, estão Jongo da Serrinha (RJ), Beth de Oxum (PE), Coco de Umbigada (PE), Trio Nordestino (BA), Orquestra Frevo de Curica (PE), Guerreiro do Passo (PE), Maracatu Nação Pernambuco (PE), Ivo Meirelles (RJ), Funk'n Lata (RJ), Quinteto Violado (PE), Poeta Karl Marx, Baixinho dos 8 Baixos (PE), Caboclinho União 7 Flechas (PE), DJ Leon Selector, Mart'nália (RJ), Fábio Carvalho (ES), Manguerê (ES), Graça Onasilê (BA) e Velha Guarda da Mangueira (RJ). 
 
Os principais museus federais do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) convidam os visitantes para conhecer programação especialmente desenvolvida para o período dos jogos, como o Museu da República, o Museu Histórico Nacional, o Museu Nacional de Belas Artes, o Sítio Burle Marx e os Museus Castro Maya, que estão integrados ao Passaporte Cultural Rio. O Passaporte dá descontos e gratuidades em peças de teatro, shows e em serviços. A ação é resultado de uma parceria entre o Ibram e a Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro. 
 
Museu Nacional de Belas Artes recebe a exposição Os Jogos da Antiguidade - Grécia e Roma, que integra peças com mais de  2.500 anos (Foto: Divulgação)
 
Como parte das iniciativas do MinC para as Olimpíadas, o Ibram, a Fundação Biblioteca Nacional e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional promovem uma série de exposições que reverenciam a memória e a cultura brasileiras. Da Missão Artística Francesa, que formalizou o ensino das artes no país, ao patrimônio imaterial brasileiro, há uma ampla variedade de temas em cartaz. Crianças e adultos vão se encantar com "Frida e Eu", mostra idealizada pelo Centro George Pompidou e pelo Ministério da Cultura do Estado de Guerrero, no México, em cartaz no Museu Histórico Nacional.
 
A história dos Jogos Olímpicos poderá ser vista na mostra "Os Jogos da Antiguidade - Grécia e Roma", recém-inaugurada no Museu Nacional de Belas Artes, com cerca de 60 obras, algumas com mais de 2.500 anos de idade. O MNBA também exibirá uma das grandes obras-primas do francês Léon Pallière, Alegoria às Artes, que sobreviveu à demolição do prédio da Academia Imperial de Belas Artes, em 1938. A tela representa as musas da arquitetura, da pintura, da poesia, da música e da escultura e foi um dos poucos trabalhos que sobreviveu à demolição do seu prédio. 
 
Na área do cinema, Fundição e Cine Odeon e outros espaços recebem o Circuito Audiovisual que celebra a produção cinematográfica nacional, das Chanchadas da Atlântida ao Cinema Novo.
 
 
 
 
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura