Notícias

« Voltar

Campeã do Carnaval do Rio 2018, Beija-Flor tem apoio da Lei Rouanet

 
 
14.2.2018 - 18:15  
O MinC aprovou a captação de R$ 2,4 milhões para o desfile da Beija-Flor, e a escola conseguiu arrecadar até o momento R$ 500 mil (Fotos: Gabriel Monteiro e Gabriel Nascimento/Riotur)
 
 
A escola de samba campeã do Carnaval do Rio de Janeiro este ano, Beija-Flor de Nilópolis, tem apoio da Lei Rouanet. O Ministério da Cultura (MinC) aprovou a captação de R$ 2,4 milhões para o desfile, e a escola conseguiu arrecadar até o momento R$ 500 mil. Ela tem ainda 36 meses para captar os recursos desde a publicação no Diário Oficial da União do projeto aprovado pelo MinC. Pode continuar captando inclusive após a realização do evento. 
 
Além do projeto da Beija-Flor, o MinC aprovou outros 24 projetos de escolas de samba, de ligas e de blocos de rua do Rio de Janeiro para o Carnaval 2018. Até o momento, no total, foram R$ 70,3 milhões aprovados e R$ 12,5 milhões arrecadados pelas agremiações junto a patrocinadores, com incentivo fiscal da Lei Rouanet. Este é o maior valor captado desde 2014 (R$ 11,4 milhões). Os apoiadores são nove empresas privadas e uma pessoa física.
 
No grupo das cinco primeiras colocadas, todas receberam apoio da Lei Rouanet. A Paraíso do Tuiuti captou R$ 500 mil dos R$ 2,5 milhões aprovados; a Salgueiro, R$ 500 mil dos R$ 1,9 milhão; a Portela, R$ 1.450.000 dos R$ 1.462.155 aprovados; e a Mangueira, R$ 500 mil dos R$ 2,6 milhões aprovados.
 
Os recursos investidos nos projetos aprovados via Lei Rouanet vêm de patrocinadores, que podem ser pessoas jurídicas (da iniciativa privada ou pública) ou físicas. Compete ao Ministério da Cultura analisar se todos os itens dos projetos candidatos a receber recursos estão de acordo com as normas estabelecidas, e autorizar, ou não, a captação de recursos junto a um patrocinador. Uma vez aprovado o projeto, cabe ao autor procurar o apoiador.
 
Os patrocinadores de projetos via Lei Rouanet recebem do governo federal um percentual de desconto no Imposto de Renda no ano subsequente, que varia de 30% a 100%, até o limite de 6% do imposto devido. 
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura